brasília: 61 3327-9889   |  são paulo: 11 2619-0618

adm.midiaeconexao@gmail.com

O Antagonista: Deputado rebate críticas à “inoperância” do Congresso sobre criação de marco legal para Abin

A Comissão de Controle das Atividades de Inteligência (CCAI) rebateu críticas da Intelis, entidade que representa os servidores da Abin, sobre uma inoperância quanto à construção de um novo marco regulatório do serviço de inteligência no país. A comissão é presidida pelo deputado Paulo Alexandre Barbosa (PSDB-SP) e tem como vice o senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Em resposta, o presidente afirmou que comissão realizou “deliberações no sentido de dar continuidade ao papel fiscalizatório” e “audiências públicas com o objetivo de clarear assuntos pertinentes à inteligência”.

Paulo Alexandre afirmou, ainda, que uma dessas audiências teve por objetivo tratar do caso envolvendo o uso do software de espionagem “First Mile”, além da aprovação de requerimento com solicitação de informações da Abin sobre o tema.

“Em três ocasiões distintas, o Diretor-Geral da Abin, Luiz Fernando Corrêa, esteve presenta na comissão. Durante os encontros, ele também prestou esclarecimentos sobre a Agência e sua nova gestão. Por último, esteve presente como resposta ao Requerimento de Convite n. 15 de 2023, com a finalidade de expor a nova formatação do SISBIN, criada pelo Decreto n° 11.693, de 06 de setembro de 2023, momento que coincidiu com a Operação Última Milha da Polícia Federal, deflagrada em 20/10/2023. Na ocasião, com ação imediata, o presidente da Comissão acordou que a reunião ocorresse com celeridade na comissão, diante da relevância da discussão com o resultado das investigações da Polícia Federal (PF). A audiência realizada no dia 25/10”, disse por nota.

Entenda as críticas

Servidores da Abin divulgaram um documento, no último domingo, 28, no qual defendem um marco novo marco normativo que deixe claro as atribuições, ferramentas e limites da atividade de inteligência, além da criação de uma vara especializada no poder judiciário para tratar de questões de inteligência.

Ambos os assuntos, entretanto, dependem de avanço no Congresso.

O documento fez críticas diretas à atuação da Comissão das Atividades de Inteligência no Congresso. “Os servidores apoiam maior controle externo pelo Congresso, mas a comissão encarregada da Atividade de Inteligência tem se mostrado pouco atuante nas sucessivas legislaturas”, escrevem.

A Polícia Federal apura a prática de espionagem clandestina com fins políticos por meio da estrutura da Agência Brasileira de Inteligência. Na semana passada, o ex-diretor da Abin e atualmente deputado federal, Alexandre Ramagem (PL-RJ), foi alvo de mandados de busca. Entre as suspeitas que recaem sobre ele está a impressão de documentos sigilosos para entrega de informações ao filho do ex-presidente Jair Bolsonaro, Carlos Bolsonaro.

A PF também cumpriu mandados de busca em endereços de Carlos Bolsonaro na última segunda-feira, 29, dentro da mesma apuração.

Fonte: O Antagonista

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
Jornal Alô Brasília: Pesquisa inédita revela os benefícios de medicamento específico para câncer de próstata na população brasileira

Um estudo da Oncoclínicas&Co, liderado pelo oncologista Paulo Lages, mostrou a eficácia do uso de uma droga já conhecida, o Acetato de Leuprorrelina, para pacientes brasileiros com câncer de próstata. Os resultados desta pesquisa foram apresentados no maior congresso de oncologia do mundo, o Encontro Anual da Sociedade Americana de

leia mais »