brasília: 61 3327-9889   |  são paulo: 11 2619-0618

adm.midiaeconexao@gmail.com

Metrópoles: “Bebês Ozempic”: remédios para perda de peso aumentam a fertilidade?

Medicações destinadas ao controle da diabetes e ao tratamento da obesidade podem acertar processos metabólicos e favorecer a gravidez

Mulheres têm contado nas redes sociais que engravidaram acidentalmente enquanto tomavam remédios que provocam a perda de peso, como o Ozempic, fabricado pela Novo Nordisk, e o Mounjaro, da farmacêutica Eli Lilly. Os relatos incluem desde pessoas que usavam pílula anticoncepcional quando descobriram a gravidez até as que tinham problemas para engravidar.

Mas, afinal de contas, esse tipo de medicação afeta a fertilidade das pacientes? De acordo com o ginecologista Luís Otávio Manes, que atende em Brasília, isso pode acontecer.

O médico explica que o Ozempic e seus similares podem aumentar as chances de gravidez em mulheres com distúrbios metabólicos ligados à glicose, como a própria diabetes, a resistência à insulina e a obesidade.

Os distúrbios metabólicos criam um desequilíbrio no corpo que leva as pacientes a não produzirem hormônios ligados à reprodução de forma regular, provocando quadros de anovulação (ausência da ovulação em alguns meses). A anovulação leva a uma diminuição considerável das chances de gravidez.

Ao usar as medicações para tratar a diabetes e a obesidade, a paciente regula a glicose e faz com que o corpo produza as células reprodutivas de maneira regular.

“Mulheres que não ovulavam todos os meses passam a ovular de maneira regular e, obviamente, aumentam a probabilidade de engravidar. Além dessas situações, a medicação não ajuda em absolutamente nada na taxa de gravidez e nem na fertilidade”, considera Manes.

De acordo com o ginecologista Nathan Ichikawa Ceschin, obstetra e especialista em reprodução humana, as pacientes com índice de massa corporal (IMC) acima de 35 também têm maiores chances de sofrerem abortos espontâneos. Ao emagrecerem, elas diminuem o risco de perder a gravidez.

“O fato de emagrecer, perder peso e melhorar a saúde impacta na fertilidade, ou seja, os “bebês de Ozempic” podem ser um efeito indireto da medicação”, considera o médico, que é integrante da Associação Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA). “Uma vez que se consegue eliminar o peso e diminuir o IMC, isso melhora as condições de ciclo menstrual”, completa Ceschin.

Ozempic diminui eficácia de anticoncepcional?

Apesar de as farmacêuticas declararem que não ocorreram casos de gravidez durante os ensaios clínicos desses medicamentos, pode ser que, ao retardar o esvaziamento gástrico das pacientes, as medicações afetem a absorção das pílulas anticoncepcionais orais.

A recomendação é que antes de iniciar o tratamento com as canetas injetáveis, as pacientes busquem orientação médica para discutir sobre o uso de outras medicações.

Posso tomar Ozempic para engravidar?

Os especialistas alertam que as mulheres não devem usar estes medicamentos com o objetivo de engravidar. Os fabricantes dos remédios, inclusive, recomendam que as pacientes suspendam o tratamento ao menos dois meses antes de começarem a tentar ou interrompam o uso assim que descobrirem a gestação.

Fonte: Metrópoles

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
Jornal Alô Brasília: Pesquisa inédita revela os benefícios de medicamento específico para câncer de próstata na população brasileira

Um estudo da Oncoclínicas&Co, liderado pelo oncologista Paulo Lages, mostrou a eficácia do uso de uma droga já conhecida, o Acetato de Leuprorrelina, para pacientes brasileiros com câncer de próstata. Os resultados desta pesquisa foram apresentados no maior congresso de oncologia do mundo, o Encontro Anual da Sociedade Americana de

leia mais »