brasília: 61 3327-9889   |  são paulo: 11 2619-0618

adm.midiaeconexao@gmail.com

Metrópoles: De nutrição a acupuntura: veja o que fazer para engravidar em 2024

Especialistas explicam que os hábitos de vida são fundamentais para aumentar as chances de gestação

Se o plano de engravidar faz parte das suas metas de 2024, saiba que a preparação pode envolver diversas áreas da saúde. Especialistas explicam que os hábitos de vida são fundamentais para aumentar as chances de gestação e garantir uma gravidez saudável.

Ajustes na nutrição e na produção hormonal, bem como sessões de acupuntura são capazes de estimular o organismo para a fecundação e a gestação.

Nutrição para engravidar

Manter uma dieta saudável é um dos aspectos mais importantes para quem busca engravidar. Vários nutrientes como ácido fólico, ferro, zinco, selênio e vitaminas B6, E, A e C são fundamentais para estimular a ovulação e levar ao desenvolvimento do feto.

O nutricionista Omar de Faria, de Brasília, especializado em endometriose, fertilidade e gestantes, explica que três meses são suficientes para fazer uma programação metabólica no corpo das futuras mamães.

“A rotina de sono, alimentação e atividade física, assim como o uso de bebida e o fumo influenciam no DNA do embrião. O que fazemos é orientar o casal para que estejam em condições de transferir a melhor qualidade possível de herança genética ao filho”, afirma.

A alimentação adequada tem papel não só no momento da concepção, mas também no de desenvolvimento do feto. Há suplementos que ajudam na formação do bebê, como os de vitamina A.

“O acompanhamento é fundamental para a saúde da mãe, mas tem impactos na vida do bebê. Uma correta ingestão de alimentos na gestação diminui as chances de problemas relacionados ao metabolismo do colesterol e diabetes, por exemplo”, explica Omar de Faria.

Papel dos hormônios

Os hormônios femininos e masculinos desempenham papel fundamental na fertilidade e, no caso das mulheres, são determinantes para ajudar o corpo a fixar o embrião no útero.

A endocrinologista Andréia Carvalho, do Instituto Pariens, de Brasília, explica que é importante avaliar os níveis hormonais para garantir uma gravidez saudável.

“Algumas condições endócrinas, como diabetes, obesidade, alterações da tireoide, hipogonadismo ou síndrome dos ovários policísticos, podem afetar a fertilidade e a evolução da gravidez. Em caso de pessoas com condições endocrinológicas já pré-estabelecidas, pode ser necessário ajuste ou troca das medicações”, destaca.

Mente sã, corpo são

Quando a gestação demora a ocorrer, a expectativa pode causar estresse e ansiedade, que prejudica a fertilidade tanto dos homens como das mulheres. Nesses casos, o acompanhamento psicológico é indicado para lidar com as variações de humor decorrentes de tentativas frustradas.

De acordo com a psicóloga especializada em reprodução Claudia Rachewsky, da Nilo Frantz Medicina Reprodutiva, com unidades no Rio Grande do Sul e em São Paulo, o apoio profissional é fundamental para lidar com a pressão de engravidar.

“É muito frustrante não conseguir gestar. O casal, em geral, acaba se sentindo muito injustiçado, impotente e incapaz. Quem está nesse processo precisa se acarinhar e fazer tudo que alivie a pressão”, indica.

Acupuntura

A acupunturista Aylla Gomes, CEO do Instituto Pariens, explica que a medicina oriental trabalha também com um preparo que começa três meses antes do início da tentativa de gestar. Segundo Aylla, a acupuntura ajuda a regular o ciclo menstrual, diminui as inflamações do corpo e reduz o estresse.

“O objetivo é buscar o equilíbrio do corpo para favorecer a fecundação e a gestação. Com a utilização das técnicas da Medicina Tradicional Chinesa, os sintomas são tratados e, consequentemente, as chances de gestar aumentam”, conclui.

 

Fonte: Metrópoles

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
Jornal Alô Brasília: Pesquisa inédita revela os benefícios de medicamento específico para câncer de próstata na população brasileira

Um estudo da Oncoclínicas&Co, liderado pelo oncologista Paulo Lages, mostrou a eficácia do uso de uma droga já conhecida, o Acetato de Leuprorrelina, para pacientes brasileiros com câncer de próstata. Os resultados desta pesquisa foram apresentados no maior congresso de oncologia do mundo, o Encontro Anual da Sociedade Americana de

leia mais »