brasília: 61 3327-9889   |  são paulo: 11 2619-0618

adm.midiaeconexao@gmail.com

Jornal de Brasília: Delegados suspendem o serviço voluntário de fevereiro e delegacias podem ter paralisação

A categoria de policiais civis pede ao GDF agilidade no reajuste salarial reivindicado

O SVG foi criado durante o governo Ibaneis para ampliar o atendimento nas unidades da PC-DF. Foto: Sindepo-DF

Em campanha para pressionar o governador Ibaneis Rocha (MDB) a agilizar o reajuste salarial da categoria, delegados do Distrito Federal vão suspender parte do serviço durante todo o mês de fevereiro de 2022.

Em assembleia extraordinária convocada pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Distrito Federal (Sindepo-DF), nesta segunda-feira (10), os delegados deliberaram, por unanimidade, a não marcação do Serviço Voluntário Gratificado (SVG) para o mês de fevereiro. Os serviços que já haviam sido agendados serão desmarcados.

O SVG foi criado durante o governo de Ibaneis para ampliar o atendimento nas unidades da Polícia Civil do DF (PCDF) e garantir que as delegacias abrissem durante as 24 horas do dia. A suspensão da gratificação pode significar que haverá uma paralisação no atendimento das delegacias.

Além de aumento salarial, os policiais reivindicam regulamentação do plano de saúde da PCDF e a complementação do auxílio-alimentação. O movimento dos delegados vai de encontro a decisão dos policiais civis, que durante a assembleia do Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol-DF), na última segunda-feira (3), decidiram adotar a medida para cobrar com mais afinco a recomposição salarial adequada a categoria.

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
The Epoch Times: Sindicato da Abin avalia gestão Lula como “governo do desmonte” e anuncia “operação padrão” de servidores

Os servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) comunicaram o início de uma “operação padrão”, a partir de segunda-feira (22). O anúncio é do sindicato União dos Profissionais de Inteligência de Estado (Intelis), que ainda chama o mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de “governo do desmonte”, por meio de nota. Operação

leia mais »