brasília: 61 3327-9889   |  são paulo: 11 2619-0618

adm.midiaeconexao@gmail.com

ISTOÉ: Servidores da Abin se dizem ‘consternados’ com suposto elo de colegas em plano contra Moraes

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes – Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) se dizem “consternados” com a suspeita de participação de colegas em um plano para prender e matar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), conforme ele próprio revelou em entrevista a O Globo. Moraes afirmou que a agência “monitorava” seus passos para “quando houvesse a necessidade” de prendê-lo.

Poucas horas após a entrevista vir a público, a União dos Profissionais de Inteligência de Estado da Abin divulgou uma nota em que atribui ao governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) um inchaço na agência com indicações de servidores estranhos ao órgão.

“Durante a maior parte do governo anterior, a agência esteve sob gestão de servidores de outro órgão, durante a qual houve ocupação de cargos por indicação exógena em quantidade inédita na história da Abin, situação que perdurou até março de 2022”, diz o texto.

A associação afirma que os servidores “orgânicos” da Abin têm um “compromisso inequívoco” com a democracia e que ameaças de atentados a agentes públicos e contra as instituições democráticas “permanecem objeto do acompanhamento silencioso”.

Não é a primeira vez que a Abin é colocada no centro de suspeitas de aparelhamento ao longo do governo Bolsonaro. Sistemas da agência também teriam sido usados para espionar políticos, jornalistas, advogados e adversários do ex-presidente, segundo a Polícia Federal.

Estadão entrou em contato com a Abin, mas, até a publicação deste texto, a agência ainda não havia se manifestado sobre as declarações de Alexandre de Moraes. O órgão passou por uma reformulação no governo Lula. Indicados em postos-chave foram substituídos e a Abin foi transferida da estrutura administrativa do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) para o guarda-chuva da Casa Civil.

O ministro interino da Justiça, Ricardo Cappelli, afirmou que as autoridades estão empenhadas em identificar e punir todos os envolvidos no plano contra Moraes. “Iremos às últimas consequências”, garantiu.

Fonte: ISTOÉ

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
Jornal de Brasília: Mitos e verdades sobre acupuntura para gestantes

A gestação é um momento mágico para grande parte das mulheres, mas também é um período cercado de dúvidas, medos e desconfortos físicos. Na gravidez, muitos remédios não são seguros. Uma alternativa é a acupuntura, médicos indicam a terapia para tratar vários incômodos como, por exemplo, enjoos, azia, dores nas

leia mais »