brasília: 61 3327-9889   |  são paulo: 11 2619-0618

adm.midiaeconexao@gmail.com

GPS LifeTime: Crioterapia: o mais novo e polêmico método anti-rugas

Em busca de respostas, o GPS|Lifetime entrevistou dois dermatologistas sobre o assunto, e a decisão é unânime: o procedimento pode ser perigoso e ainda não chegou para debate no País

Com o lançamento do equipamento Glacial Rx nos Estados Unidos da América (EUA), a crioterapia tem se popularizado ainda mais ao longo dos anos. O GPS|Lifetime conversou com dois dermatologistas, um deles presidente do presidente do Congresso Brasileiro de Dermatologia em Brasília, para tirar suas dúvidas sobre o assunto e entendermos a polêmica do método.


(Foto: Towfiqu Barbhuiya/Unsplash/Reprodução)

O que é a crioterapia?

É um dos procedimentos mais utilizados por famosos, no exterior, para lidar com rugas e linhas de expressão. Consiste em submeter a pele a baixas temperaturas e que o colágeno seja estimulado nesse processo. A médica dermatologista Regina Buffman explica:

“Crioterapia para tratar as rugas é um procedimento utilizado há alguns anos no exterior. A ideia é que a pele seja submetida a temperaturas baixas e que a revascularização após congelamento promova um aporte sanguíneo maior no local promovendo acréscimo de nutrientes e  estímulo de colágeno.  Existe o uso da técnica de uma maneira geral promovendo tratamento na qualidade da pele sendo uma alternativa para rugas finas, flacidez e manchas e outra aplicação pontual na região da fronte que funcionaria como um Botox tratando especificamente as rugas de movimentação dinâmica da testa. Esse último é conhecido como Frotox”, afirma Buffman ao GPS|Lifetime.

É legalizado no Brasil? Qual a polêmica do método?

O procedimento não existe no Brasil, mas se popularizou lá fora por conta do aparelho norte-americano Glacial RX, lançado sob autorização do FDA em 2016.

“Glacial RX é um aparelho norte americano que possui autorização do FDA desde 2016. É um aparelho que oferece soluções cosméticas e médicas baseado na criomodulação. Foi muito comentado no último congresso da Academia Americana de Dermatologia AAD como protocolo inovador para melasma. No Brasil não está disponível e nem possuímos um aparelho equivalente em território nacional”, analisa Buffman.


(Foto: Sam Moghadam Khamseh/Unsplash/Reprodução)

presidente do Congresso Brasileiro de Dermatologia em Brasília e professor da Universidade de Brasília (UNB), Gilvan Alves, esteve nos últimos meses em três congressos de dermatologia (nos EUA, na França, e em Recife, no Brasil) e, em nenhum deles, viu a crioterapia ser debatida:

“O mais próximo que existe, em território nacional, é a criolipólise, que é muito utilizada no País como forma de tratamento contra as gorduras localizadas — mas que não costuma ser utilizada no rosto. Eu não ouvi falar, em nenhum dos Congressos desse ano, dessa crioterapia. O gelo queima, dá bolhas, pessoas que andam na neve podem perder o pé e sofrer queimaduras. Imagina isso no rosto? Congelar o rosto pode causar danos sérios à pele. A crioterapia é diferente da criolipólise, que congela a gordura e não as rugas. A criolipólise tem como foco o combate à gordura”, analisa e explica Gilvan Alves.

Quais são as rugas mais conhecidas?

  • pés de galinha
  • expressão de bravo entre as sobrancelhas
  • linhas horizontais na testa

Já que não está autorizado no Brasil, o que fazer?

No combate às rugas e linhas de expressão, o bom e velho botox ainda costuma ser o procedimento mais buscado e realizado — mas existem, ainda, os lasers, peelings médios e profundos, e o skinbooster.

 

Fonte: GPS LifeTime

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
The Epoch Times: Sindicato da Abin avalia gestão Lula como “governo do desmonte” e anuncia “operação padrão” de servidores

Os servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) comunicaram o início de uma “operação padrão”, a partir de segunda-feira (22). O anúncio é do sindicato União dos Profissionais de Inteligência de Estado (Intelis), que ainda chama o mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de “governo do desmonte”, por meio de nota. Operação

leia mais »